Sobre o coaching que eu pratico

Há muita documentação sobre coaching em geral e existem muitas correntes sobre diferentes práticas profissionais que se autodenominam coaching, então a primeira coisa que quero que saiba é que Coaching realista é uma metodologia de conversação profissional que serve para o coach ajudar uma pessoa ( usuário ou cliente) para pensar e se tornar consciente além de seus limites iniciais de pensamento.
 
Isso permite ao usuário descobrir uma realidade nova e mais rica, conhecer-se melhor, traçar metas mais realistas e, em geral, encontrar opções e motivações para se mobilizar quando parecia que não era possível.

 

Isso é feito por meio de conversas entre o coach e o cliente. Nas conversas, o coach escuta o ponto de vista do cliente e o acompanha para especificar, detalhar, refletir, questionar e especificar a partir de seu discurso inicial. Por ser um sistema baseado em conversação, pode ser feito pessoalmente, por videoconferência ou por telefone.
 
Em relação ao nome, a razão de chamá-lo de Coaching Realístico é simplesmente atingir uma diferenciação formal de um couching não directivo e realizado desde "o ser".
 
Vou me referir ao Coaching Realista como "coaching", por simplicidade, mas quero que você saiba que sempre estarei me referindo ao coaching da forma como o entendo, sem pretender ser mais ou menos coaching do que o indicado por outras escolas.

A metodologia definida no Coaching replica um processo natural pelo qual uma pessoa amplia sua visão da realidade.

Todos nós já passamos por esse processo em algum momento de nossas vidas. 

 

Acontece quando percebemos que estávamos abordando mal uma situação, ou que estávamos errados sobre como interpretamos certos eventos. Às vezes isso acontece conosco olhando para trás, quando, com o tempo, aceitamos que éramos muito teimosos e parecia que não queríamos ver o que realmente aconteceu. Muitos de nós já experimentamos a sensação de estarmos cegos para algo e depois aceitamos que as coisas não eram como pensávamos. Refiro-me àquele momento em que a situação não muda, mas assume um significado diferente aos nossos olhos. Essa é a mudança que o Coaching Realista busca realizar.

Essa mudança de ponto de vista pode ocorrer de forma relativamente abrupta, quando aparecem novas informações que o fazem repensar tudo o que já sabia. Como em um romance que toma um rumo inesperado quando o autor oferece novas informações para que o leitor reinterprete tudo o que leu antes e dê uma nova explicação. É aquele momento em que, com essas novas informações, tudo o que foi exposto ganha um novo significado. O passado não muda, mas antes tinha uma interpretação e agora tem outra.

Esse processo de mudança também pode ocorrer de forma mais progressiva quando você está a discutir um problema com alguém de sua confiança. Quando você compartilha seu ponto de vista com alguém que você ouve e que o ouve a você. Quando conversa com a mente aberta e sem medo. Quando conversa com curiosidade e interesse em melhorar suas apreciações.

Portanto, você pode mudar seu ponto de vista não só porque os fatos saltam na sua cara, mas também porque você está disposto a mudar e estabelecer um diálogo sincero e aberto. O último é o processo que o Coaching realista replica.

O Coaching realista percebe que duas pessoas conversando respeitosamente têm, para começar, um motivo para conversar. Durante a conversa, cada um expressa seu ponto de vista e ouve o outro com o intuito de se compreender. Tendo respeito e interesse em melhorar, cada um revisa suas próprias afirmações agregando o que aprende com o outro e, por fim, enriquece seu próprio apreço. Se como resultado dessa troca, o ponto de vista de alguém se modifica, essa pessoa poderia dizer que sua realidade mudou, pois, embora os fatos sejam os mesmos, sua interpretação é diferente e agora estão prontos para mudar a forma como se relacionam com essa nova realidade. .

O coach realista conhece esse processo e incentiva uma conversa entre o usuário e ele mesmo. O coach não faz contribuições. O coach não é a outra pessoa da conversa, ele é o facilitador para que o usuário converse consigo mesmo e aproveite o que já sabe.

O coach acompanha o usuário para conversar consigo mesmo e passar pelas etapas do processo sem saber o que vai acontecer, mas sabendo que a primeira coisa é lembrar do que ele está falando, depois tornar visível tudo o que o usuário pensa que sabe sobre a situação e então estabelecem um diálogo no qual o usuário tem a oportunidade de questionar suas afirmações e reinterpretar suas conclusões. O resultado será um repensar da realidade e um novo ponto de vista. Se esse novo ponto de vista for mais útil para você, você encontrará novas ações a serem tomadas.

Em outras palavras, o coach realista provoca um diálogo útil, enriquecedor e sincero do usuário consigo mesmo e o acompanha nos mesmos estágios que teria uma conversa entre duas pessoas que se ouvem e se respeitam. O coach não é aquele segundo interlocutor, o coach realista é o facilitador para a pessoa se abrir, estar disposta a mudar e conversar honesta e sinceramente consigo mesma.

Para que é usado o Coaching realista?

De um modo geral, o Coaching Realístico permite que as pessoas se desbloqueiem, resolvam problemas de forma criativa, encontrem seu estilo de atuação, sigam em frente, ponham de lado situações de que não gostam e se movam para onde querem. Talvez o conceito de "bloqueio" seja o que melhor descreve o ponto de partida de um usuário de coaching.

 

Podemos comparar como se fosse uma pessoa em um labirinto de paredes transparentes. Ele sabe que existe mais mundo lá fora, mas não pode escapar dos caminhos que já foram traçados. Uma pessoa pode passar muito tempo nessa situação e esse labirinto pode ser pessoal, emocional ou profissional. O fato é que ele sabe que fora desse labirinto um mundo de possibilidades e objetivos o aguarda, mas ele não pode sair por muitas voltas. Talvez esteja bloqueado por paredes que você não pode ver ou talvez circunde que o leve ao mesmo lugar ou a lugares diferentes, mas sempre dentro do mesmo labirinto.

Coaching é o método pelo qual essa pessoa aprende a sair do labirinto. Como veremos mais adiante, ele percebe que muitas dessas paredes podem ser transpostas, porque são mais imaginárias do que reais, ou que pode sair do labirinto usando seus próprios recursos encontrando outros caminhos. O labirinto em que uma pessoa vive seu bloqueio possui paredes móveis.

Este labirinto é transparente, portanto, o treinador não o vê , mas ajuda o usuário a determinar quais paredes são reais, quais são imaginárias, quais podem ser evitadas, quais buracos escondidos existem, quais caminhos eles querem seguir, onde querem ir e como fazer. .

O objetivo do coaching realista

Uma das primeiras tarefas do coach, senão a primeira, será traçar uma meta válida para o coaching e com a qual o usuário concorde. Ambos devem especificar o objetivo do processo para que seja válido para ambos.

As pessoas abordam o coaching por diferentes motivos e cabe ao coach garantir que ele seja acessível ou, em algumas situações, rejeitar o processo por não ser adequado para essa prática profissional.

Assim, que um aluno se proponha a obter notas altas não é, em primeira instância, um objetivo válido, porque não depende inteiramente dele. Sim, depende em grande medida, mas não totalmente. O que está em seu poder é ser a pessoa capaz de obter essas qualificações, para as quais você deve observar dentro de si o que precisa mudar para alcançá-las.

Robert Dilts, em seu livro "Coaching, tools for change" menciona a diferença entre o coaching com letras minúsculas e o coaching com letras maiúsculas. O coaching em letras minúsculas se concentrará em hábitos, tarefas e comportamentos. O coaching com letras maiúsculas terá como foco a pessoa e sua maneira de ver o mundo. Nestas páginas falaremos sobre coaching com letras maiúsculas, aquele que permite que a pessoa se transforme para poder atingir seus objetivos. Quando essa mudança ocorre, os hábitos vêm por si próprios ou, pelo menos, são tratados sem dificuldade.

Para fazer coaching com letras maiúsculas, o objetivo deve vir de dentro e depender apenas da pessoa para alcançá-lo. Por exemplo, um aluno que deseja tirar boas notas deve saber que nada do que ele faz garante uma nota alta totalmente, pois muitos elementos do ambiente podem afetar o resultado final dos exames. Assim como um técnico não pode garantir o ouro olímpico a um atleta porque, por melhor que ele se saia, sempre pode haver alguém que se sai melhor.

Outro exemplo seria uma partida de tênis. Caso dois grandes tenistas se enfrentassem na final de um grande campeonato e ambos tivessem um treinador para ajudá-los a administrar seu potencial, apenas um poderia vencer. Quero dizer com isso que ambos os jogadores podem ganhar o jogo, mas apenas um o ganhará.

O objetivo que essas pessoas devem concordar com seus respectivos treinadores não é a vitória, mas ser a pessoa capaz de vencer a partida. Ou, para ser mais exato e mantendo uma postura realista: seja a melhor versão de si mesmo no caminho para o seu objetivo.

Seja qual for a preocupação do usuário, o treinador está lá para acompanhá-lo para ser sua melhor versão para atingir a meta e chegar a ela.

O objetivo do coaching não pode ser uma obrigação, tem que ser uma motivação.

 

Em resumo

 

Lembrar:

  • Nem todos os objetivos são válidos, mas quase todos servem para iniciar o trabalho. 

  • O coaching ajuda a pessoa a tomar consciência de seu próprio ponto de vista.

  • A pessoa define os objetivos e o coach trabalha acompanhando a pessoa para ser sua melhor versão no processo de atingir esses objetivos.

+351 964 293 110

©2019 by Fernando Calle - Coach.